Como implementar na prática as tendências globais de educação corporativa apontadas pelo Financial Times

< Voltar

Insights

Grupo de profissionais observam post-its colados em um vidro e discutem sobre o conteúdo
13/07/2021

Como implementar na prática as tendências globais de educação corporativa apontadas pelo Financial Times

Estar atualizado e alinhado com as tendências globais do mundo corporativo são pré-requisitos indispensáveis para o sucesso empresarial. Afinal, quem não tem um olhar para inovação, acaba ficando defasado ou enfrentando situações que poderiam ter sido evitadas com mais rapidez e eficiência.

A crise da Covid-19 mudou diversos aspectos e paradigmas da sociedade, dentre eles, a questão do ensino. “O ensino a distância já era uma realidade para muitas instituições, mas a pandemia acelerou muito esse processo, e praticamente forçou as escolas a se adaptarem a essa nova realidade”, disse Vinícius Farias, gerente executivo de educação corporativa do FGV In Company.

De acordo com uma pesquisa do Financial Times publicada em 2021, algumas tendências já vinham sendo apontadas como globais por diversos Chief Learning Officers (CLO), como a questão da liderança nas equipes, uma educação que mescla cada vez mais o ensino presencial e virtual para os cursos corporativos e a necessidade de desenvolvimento em temas como transformação digital, estratégia e inovação.

Liderança e diversidade são tendências que se destacam

A formação em liderança apareceu na pesquisa como uma das prioridades mais importantes quando pensamos em educação corporativa, citada por cerca de 82% dos entrevistados. Outro tema que ganhou bastante destaque, com 57% das citações, foi a gestão de mudanças. A relevância pode estar associada a necessidade de uma maior flexibilidade diante da realidade pandêmica.

A questão da diversidade e inclusão, um tema relevante e emergente nos últimos anos, também teve um número grande de menções, sendo comentada por 55% dos entrevistados. Só nos Estados Unidos, essa temática foi a segunda mais votada, logo após liderança.

Como oferecer educação corporativa que importa

Para estarem alinhadas às tendências apontadas na pesquisa, as instituições de ensino também precisarão inovar. Os entrevistados revelaram que buscam soluções customizadas que tragam retorno sobre investimento em detrimento a soluções que se baseiem somente em pesquisas e conhecimento empírico.

Portanto, para oferecerem programas de ensino relevantes no cenário atual, a pesquisa aponta que as escolas devem oferecer treinamentos que trabalhem os objetivos das organizações de maneira prática, tragam conhecimentos de ponta e possuam uma plataforma online robusta. As clássicas aulas expositivas estão longe de atender às expectativas do mercado.

A partir das tendências do cenário atual reforçadas na pesquisa, o FGV In Company compartilha com você alguns programas desenvolvidos e suas boas práticas:

A potencialidade da liderança no Grupo 3corações

O case para o grupo 3coraçõe demonstra a aplicação de tendências de educação corporativa inovadoras. O MBA foi criado pelo FGV In Company para o Grupo e buscou promover o desenvolvimento da potencialidade da liderança da companhia, de forma altamente customizada.

Uma das ações propostas foi o contato da equipe de especialistas e professores do FGV In Company com o Grupo 3corações, levantando cases ou situações problemas do cotidiano da organização para incluir como exemplos durante as aulas. “Também temos o costume de trazer executivos da própria organização para ajudar durante as aulas nos módulos de debate e discussão. Isso nos possibilita pensar do zero todas as ementas”, complementa Farias.

Com foco em liderança, o programa contou com atividades experienciais e projeto aplicado com possibilidade de módulo internacional.

Aplicabilidade do programa FGV In Company para o Cade

Em maio, o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) lançou, em parceria com o FGV In Company, a coletânea “Direito Econômico e Defesa da Concorrência” com 31 artigos divididos em três volumes. A publicação foca em abordagens de estudos de caso e análises relativas a duas áreas que estão em foco no antitruste: mercados médico-hospitalar e economia digital.

Esse trabalho é fruto dos projetos produzidos pelos participantes formandos da turma de 2020 do MBA em Defesa da Concorrência e Direito Econômico, coordenado pelo Prof. Gesner Oliveira, e realizada pelo FGV In Company.

As disciplinas foram especialmente pensadas para as necessidades da autarquia em um esforço conjunto em prol da ampliação dos horizontes da pesquisa aplicada, seguindo as tendências indicadas pelo relatório do Financial Times, a metodologia ativa e aplicabilidade estiveram presentes todo o tempo no programa.

Você pode baixar a coletânea aqui.

Programa para uma maior diversidade

Com isso em mente, o FGV In Company, utilizando a metodologia do FGV Action, desenhou em 2021 o programa FGV ACTION: Implementando Estratégias de Diversidade cujo objetivo visa apoiar as organizações a desenvolverem ou adaptarem suas estratégias de diversidade de forma que estejam alinhadas às diretrizes de Environmental, Social and Governance (ESG) e atendam requisitos de stakeholders relevantes, gerando valor à marca.

Utilizando metodologia de aprendizagem ativa própria da FGV, a DICA, as equipes participantes desenvolverão um projeto embasado no desafio real de diversidade da organização que atuam.

Quer saber mais sobre o programa Implementando estratégias de diversidade? Confira o webinar com o case da IBM.

Como lidar com as mudanças que a pandemia acelerou

O gerente executivo de educação corporativa ressaltou que mesmo antes da pandemia, o FGV In Company nunca decidiu esses pormenores sozinho. “Nós sempre vamos até uma organização, escutamos qual é o seu desafio, qual é a demanda e o objetivo estratégico para entendermos realmente o que buscam e, com base nisso, nossos professores desenham um programa específico para que as organizações possam alcançar determinado resultado”, ressalta.

Com a pandemia, tendências que já vinham mudando o ambiente corporativo apenas foram aceleradas quanto à implantação, como por exemplo a modernização da didática, o crescimento dos cursos on-line, educação híbrida (de forma síncrona e assíncrona) entre outras.

Mas para o FGV In Company, essas foram mudanças naturais. “Enquanto outras instituições chegaram a fechar por alguns meses até implementaram definitivamente o modelo de aulas on-line, nós levamos apenas cerca de 15 dias para alinharmos todos os pontos e treinarmos nossa equipe para oferecemos aos nossos clientes o melhor serviço”, pontua Farias.

Para saber mais sobre as soluções oferecidas pelo FGV In Company, confira o nosso site.

Nosso website coleta informações do seu dispositivo e da sua navegação por meio de cookies para permitir funcionalidades como: melhorar o funcionamento técnico das páginas, mensurar a audiência do website e oferecer produtos e serviços relevantes por meio de anúncios personalizados. Para saber mais sobre as informações e cookies que coletamos, acesse a nossa Política de Cookies e a nossa Política de Privacidade.